Passo a passo para a adequação da sua empresa à LGPD

Passo a passo para a adequação da sua empresa à LGPD

Se nada mudar até lá, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) entrará em vigor definitivamente em 15 agosto de 2020. Isso significa que a partir desse dia todas as organizações públicas ou privadas deverão estar adequadas às normas da legislação. A sua empresa já está se organizando para implementar as mudanças necessárias para proteger os dados de clientes, colaboradores e fornecedores? A seguir, fizemos um passo a passo para a sua empresa se adequar à LGPD.

1. Compreenda as exigências da LGPD

Antes de implementar qualquer mudança nos processos e na estruturação do negócio, o gestor precisa conhecer a fundo as exigências da LGPD. Caso não tenha tempo de avaliar todas as normativas, é essencial delegar um colaborador para fazer esse estudo e acompanhamento. Só assim será possível adotar boas práticas de governança corporativa para se adequar à LGPD.

2. Faça uma análise dos dados armazenados

O segundo passo consiste em mapear e analisar todos os dados já coletados. É importante avaliar quais ainda são necessários e quais podem ser descartados de forma correta, de forma que não haja vazamento de informações pessoais.

A LGPD dará ao cidadão o direito de solicitar a exclusão de seus dados dos registros empresariais. Logo, sua empresa também precisa estar preparada para lidar com essa situação da melhor forma.

3. Estabeleça uma política de proteção de dados

Quais são as ferramentas utilizadas pelo seu negócio para evitar o vazamento de dados? Agora, será necessário estabelecer diferentes processos para controlar as informações coletadas dos cidadãos e dar o devido tratamento.

Também é muito importante ter diferentes soluções para barrar o acesso de hackers aos sistemas, uma vez que a empresa poderá ser penalizada em casos de vazamento ou sequestro de informações pessoais. Veja algumas ideias de como estabelecer as boas práticas de proteção de dados:

  • mantenha os sistemas sempre atualizados;
  • tenha um firewall;
  • realize backups diários das informações;
  • valorize as tecnologias de criptografia de dados;
  • tenha o apoio de uma equipe técnica qualificada para monitorar os acessos.

4. Estabeleça as boas práticas para uso de equipamentos pessoais

Muitas empresas já autorizam o uso de dispositivos particulares nas atividades profissionais. Nesses casos, é essencial estabelecer regras para utilização dessas ferramentas, bem como orientar os colaboradores sobre a necessidade de reforçar os sistemas de proteção de dados.

5. Determine um encarregado para monitorar a segurança de dados

A LGPD também exige a escolha de um encarregado para ser o responsável por acompanhar os processos de coleta e tratamento de dados. Ele também fará a comunicação entre a empresa e a Autoridade Nacional, adotando as exigências solicitadas pelo órgão.

6. Adote uma política de autorização do uso de dados

Como o seu negócio coleta dados dos clientes? Independentemente se você atua no meio digital ou no ambiente offline, será necessário pensar sobre quais dados são realmente necessários para o cadastro dos consumidores.

Além disso, é primordial estabelecer uma política de autorização do uso dos dados pessoais. A empresa precisa informar com clareza o que será feito com essas informações.

7. Monitore o ambiente de TI

Os dados da empresa têm um valor imensurável, uma vez que eles são essenciais para todas as operações. Sendo assim, o melhor a se fazer é designar uma equipe de TI para fazer o monitoramento do ambiente digital. Essa é uma maneira de manter a atenção diante de possíveis ameaças e ter condições de agir rapidamente para evitar vazamentos de dados ou sequestro de informações.

Portanto, há pelo menos 7 boas práticas de governança corporativa que podem ser implementadas para o manter o negócio em acordo com as normas da LGPD. Procure treinar os colaboradores sobre as novas políticas para coleta, tratamento de informações e uso de equipamentos pessoais.

O escritório de Advocacia Sander & Cella – Direito Empresarial possui uma equipe especializada de advogados e programadores que atuam na adequação à LGPD, bem como na confecção do Relatório de Impacto à Proteção de Dados Pessoais. 

A leitura deste conteúdo foi útil? Ficou com alguma dúvida sobre à adequação na lei geral de proteção de dados ? Converse com um de nossos advogados para compreender todas as mudanças que deverão ser implementadas no seu negócio!

E lembre-se: quanto antes a sua empresa iniciar o processo de adequação, mais preparada ela estará para enfrentar as mudanças impostas com a nova legislação.

Quer ampliar o seu conhecimento sobre a LGPD? Confira o artigo que explica como criar o Relatório de Impacto à Proteção de Dados Pessoais.

Compartilhe nas redes sociais

Andrei Bueno Sander

Advogado inscrito na OAB/SC n.º 15.381, especializado em gestão empresarial pela fundação getúlio vargas, pós-graduando em direito digital e compliance pela damásio educacional. Trabalha na área do direito empresarial, auxiliando empresários e investidores desde o ano de 2000, nas esferas consultiva e contenciosa, alÉm de ministrar aulas como professor universitário e palestras em eventos estaduais e nacionais. Atua tambÉm como administrador judicial em recuperações judiciais e falências e é vice-presidente da comissão de direito digital da OAB – subseção de Chapecó – SC. É investidor anjo, mentor dos programas inovativa Brasil e finep startup e um dos idealizadores do Desbravalley - ecossistema de empreendedorismo, tecnologia, startups e inovação da região oeste de Santa Catarina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *