O que são Fake News? Conheça os impactos de compartilhar notícias falsas

O que são Fake News? Conheça os impactos de compartilhar notícias falsas

A expressão “Fake News” (notícias falsas) chegou a ganhar espaço no dicionário Collins, depois de ter um aumento de 365% em suas menções na web. O termo é utilizado para descrever os casos em que informações falsas, opiniões pessoais e crenças ganham tamanha relevância na internet que passam a ser consideradas como verdade.

O assunto é tão polêmico que ganhou mais força no Congresso Nacional em 2019, quando parlamentares começaram a argumentar sobre a criminalização dessas notícias falsas. Continue a leitura e saiba como identificar uma fake news.

O que são fake news?

De acordo com o dicionário Collins, fake news são “as informações falsas – muitas vezes sensacionalistas – disseminadas sob o disfarce de notícias verídicas”. Elas podem causar impactos negativos para cidadãos, campanhas sociais e governamentais.

O assunto é tão grave que o Ministério da Saúde precisou criar um canal específico para receber informações compartilhadas de forma viral na web. O órgão também realizou campanhas para alertar a população sobre as verdades e mentiras sobre os assuntos.

História das notícias falsas

O termo fake news pode ser novo, mas o fato em si existe desde o início da história da humanidade. Antigamente, as notícias falsas eram consideradas “fofocas e boatos” na sociedade e tinham a propagação em menor escala, afinal, não existiam ferramentas como WhatsApp e Facebook.

Hoje, a disseminação dessas notícias falsas se tornou um problema social. Isso porque elas interferem em eleições e podem, inclusive, criar guerras.

Qual é a consequência social de compartilhar fake news?

O assassinato da veredadora Marielle Franco é considerado um exemplo de propagação em grande escala de notícias falsas. Quando o evento ocorreu, várias imagens compartilhadas na internet informavam que ela era ligada a facções criminosas.

O problema ficou ainda maior quando uma desembargadora compartilhou sua opinião nas redes sociais sobre o tema. Na época, ela levou em consideração apenas as fake news. O “bombardeio” de informações foi tão grave que a família conseguiu uma liminar para exigir a retirada de todas as mensagens falsas do Facebook.

Como identificar uma notícia falsa na web?

Não é difícil identificar uma fake news. O usuário da internet só precisa analisar a publicação antes de compartilhá-la e ficar atento a alguns fatores:

  • observe a fonte da informação, ou seja, domínio e site de onde ela se originou. Geralmente, as notícias falsas não são divulgadas nos grandes veículos de comunicação;
  • leia diferentes versões de uma notícia para formar uma opinião;
  • analise se o autor é conhecido, desconhecido ou se não há identificação de quem escreveu determinado conteúdo;
  • verifique se o texto faz sentido, se é uma notícia ou apenas uma opinião pessoal.
  • acesse sites especializados em fake news. Entre os exemplos estão: e-farsas, boatos.org, fatos & boatos.

Qual é a penalidade por compartilhar uma fake news?

A Polícia Federal já indiciou um cidadão do Espírito Santo por ter compartilhado uma notícia falsa na eleição de 2014. Essa conduta é prevista como crime eleitoral, inclusive, foi motivo de criação da Lei 13.834 em junho de 2019 para promover mudanças no Código Eleitoral. A normativa acrescentou ao texto a informação de que a denúncia caluniosa pode gerar pena multa e reclusão que vai de 2 a 8 anos.

Logo, cabe a você, cidadão, analisar melhor as notícias que recebe em suas redes sociais. Também é importante analisar criteriosamente as informações compartilhadas em plataformas de mensagens instantâneas. Na dúvida, o melhor é não divulgar. Afinal, muitas informações podem prejudicar os processos democráticos, campanhas educativas e de saúde.

Quer saber todas as novidades da legislação e os impactos em sua vida? Siga a nossa página do Facebook e fique por dentro de tudo que acontece na área do Direito!

Compartilhe nas redes sociais

Andrei Bueno Sander

Advogado inscrito na OAB/SC n.º 15.381, especializado em gestão empresarial pela fundação getúlio vargas, pós-graduando em direito digital e compliance pela damásio educacional. Trabalha na área do direito empresarial, auxiliando empresários e investidores desde o ano de 2000, nas esferas consultiva e contenciosa, alÉm de ministrar aulas como professor universitário e palestras em eventos estaduais e nacionais. Atua tambÉm como administrador judicial em recuperações judiciais e falências e é vice-presidente da comissão de direito digital da OAB – subseção de Chapecó – SC. É investidor anjo, mentor dos programas inovativa Brasil e finep startup e um dos idealizadores do Desbravalley - ecossistema de empreendedorismo, tecnologia, startups e inovação da região oeste de Santa Catarina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *